ANP - BULLYING e CYBERBULLYING

ANP - ACESSO PROFESSOR

COMUNICADO DA COORDENAÇÃO

PREZADOS DOCENTES

REUNIÃO PEDAGÓGICA

Em nosso calendário escolar consta Reunião Pedagógica, no dia 14 de novembro de 2015 (sábado), porém realizaremos a mesma através do site da escola entre os dias:

 

INÍCIO: 10 DE NOVEMBRO DE 2015 (Terça-feira)

ATÉ
 

TÉRMINO: 23 DE NOVEMBRO DE 2015 (Segunda-feira)

 

Agradeço a todos pela participação, envolvimento e comprometimento, pois somente com o trabalho conjunto e troca de ideias se consegue resultados positivos e satisfatórios.

Abraços.

Coordenação Pedagógica

Nelita Helena

ETEC MARTIN LUTHER KING

SÃO PAULO

2015

Como você compreende a prática de bullying e do cyberbullying? Quais estratégias você tem encontrado, em sala de aula, para lidar com a questão?

Bullying

Elizabete Bucci - GUARULHOS 25/11/2015
Realmente é um desafio no ambiente escolar combater essa prática. Comumente esse tema sem sido abordado em minhas aulas, através da metodologia de seminários, para que os próprios alunos possam pesquisar e reconhecer práticas características do bullying e do cyberbullying.
Ao realizar essa atividade é muito comum alunos narrarem ter sido vítimas de bullying em outras escolas e alguns também, corajosamente, admitem que já praticaram tais atos.
A partir dessa discussão em sala, os alunos conseguem identificar os atos, os danos gerados e as respectivas responsabilidades.

Bullying

Leandro Barbosa de Souza 24/11/2015

Creio que em nossa escola não ocorre essa prática. Se ocorre deve ser algo isolado e não muito praticado. Ao menos, os alunos que possuo uma maior intimidade não me relatam isso.

Em casos em que houve a prática de bullying todos devem se envolver: escola e família. O diálogo é a melhor prática a ser utilizada, mas, aquele que praticou o bullying deve ser punido a fim de manter uma certa “ordem”, ao menos, assim creio.

Para se evitar a prática de bullying, a escola pode criar projetos sobre o tema e conscientizar os alunos sobre a importância de não se praticar o bullying.

Re:Bullying

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 24/11/2015
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

Bulling e Cyberbulling

FLAVIO PORPHIRIO 24/11/2015
Sim o bulling surge como ato de violência física ou psicológica feita de maneira intencional e repetida tanto por um indivíduo ou grupo de indivíduos causando sofrimento psicológico à vítima. No Cyberbulling a violência continua , só que agora envolve o uso de tecnologias de informação para dar apoio aos comportamentos repetidos e agressivos praticados por indivíduos ou grupos com a clara intenção de prejudicar a vítima. Tenho pouco tempo de magistério e ainda não tive casos nos poucos cursos que ministrei. Mas caso tenha pretendo conversar com o autor ou autores dos atos de bulling mostrando o erro e a injustiça cometida de maneira a interromper a repetição dos insultos, constrangimentos.

Re:Bulling e Cyberbulling

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 24/11/2015
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

Bullying e Cyberbullying

Walmira Maria Benito 24/11/2015
Ciente de que o crescimento do bullying e cyberbullying é o tipo de violência que mais tem elevado seus índices, compreendo que é necessário medidas, por parte do Estado, que possam coibir essas ações. E fiquei bastante satisfeita com as leis que incentivam nas escolas de nível básico, a criação de campanhas que discutam o problema e conscientizem alunos, professores e membros da comunidade escolar para os malefícios causados pela prática abusiva de “brincadeiras” que exponham as pessoas a traumas psicológicos e/ou físicos.
Sem dúvida trata-se de uma violência que não deve ser tolerada no ambiente escolar.
Embora eu lecione somente para alunos de nível técnico, no período noturno, cuja incidência de fatos dessa ordem são praticamente nulos, faz parte dos meus princípios conversar sobre o assunto com a classe e esclarecer a importância do respeito ao ser humano e principalmente sobre a tolerância com os outros. Não admito palavrões e xingamentos dentro da minha sala, preservo a prática da boa vizinhança e cooperação com aqueles a quem eu possa ajudar. Além de salientar que no ambiente de trabalho não há espaço para pessoas mal educadas e “valentões” de qualquer espécie.

Re:Bullying e Cyberbullying

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 24/11/2015
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

Bullying e Cyberbullying

Marino Volic 24/11/2015
DEVIDO A UM PADRÃO PRE-ESTABELECIDO PELOS SERES HUMANOS, QUALQUER PENSAMENTO DIFERENTES DAQUELES QUE SE ACHAM NORMAIS, TODOS OS QUE TEM PENSAMENTOS DIFERENTES DA MAIORIA, SÃO ROTULADOS COMO ANORMAIS PELA SOCIEDADE,E SOFREM SITUAÇÕES CONSTRANGEDORAS. ESSA SITUAÇÃO TAMBÉM ENCONTRAMOS NA SALA DE AULA, E, COMO EDUCADORES DEVEMOS ORIENTAR NOSSOS ALUNOS A RESPEITAR O PRÓXIMO, E NOS COLOCARMOS NO LUGAR DAS PESSOAS QUE SOFREM ESSE TIPO DE BULLYING.

Bullying e Ciberbullying

luiz antonio do nascimento fraga 24/11/2015
A prática de bullying, ou assédio como pode ser chamado, é bastante antiga e quase sempre quando abordo o tema em sala de aula, surge algum aluno que diz ter sofrido em alguma etapa da vida escolar.
Nesses relatos nota-se que o ofendido sentiu-se profundamente humilhado e ficaram marcas desses fatos, que ainda trazem lembranças " duras ".
Costumo passar algum trecho de filme como o que tem o próprio nome e depois proponho o debate, para ouvir as opiniões e possíveis relatos. Procuro orientar e colocar-me à disposição para eventuais esclarecimentos e se necessário ajuda.
Outras vezes proponho a apresentação de propostas para a melhoria do relacionamento e prevenção, ou combate a qualquer forma de discriminação que eventualmente possa surgir. Além disso, a formação de grupos para a realização de trabalhos com diferentes componentes.

Re:Bullying e Ciberbullying

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 24/11/2015
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

Bullying e Cyberbullying

Antonio Carlos Molero Gomes 24/11/2015
O assunto Bullying e Cyberbullying pode ser mais comum entre os alunos dentro ou fora da sala de aula, mas, pode também acontecer do professor para o aluno, dos seus familiares e colegas fora da escola.
Se a ação de brincadeira é aceita pelo aluno, então podemos entender como uma ação sadia, no entanto, se ela se torna repetitiva e sem o consentimento do mesmo, nesse caso o Bullying está presente e deve o quanto antes ser sanado.
Quanto a diferença do Bullying para o Cyberbullying é o meio por onde ela é praticada, sendo a segunda por meios eletrônicos de comunicação e essa sendo pior que a primeira pelo fato da divulgação ser mais ampla.

Bullying e Cyberbullying.

Paulo César Previtali 24/11/2015
Não tenho observado em minhas aulas nenhum acontecimento envolvendo Bullying e Cyberbullying.
Sou contra estas versões pois elas não são sabidamente criativas e tem como objetivo ferir a moral e denegrir as pessôas vitimas destas "gozações" sem graça.

O bulling na atualidade

MARIA DA CONCEIÇÃO DOS SANTOS 24/11/2015
O bulling faz parte da dinâmica ou da vida escolar. A criança quando entrar na escola terá contato com uma diversidade de pessoas que ela mesma não imaginava, por isso, ainda muitas delas têm dificuldades nos primeiros dias na escola. No entanto, é na lá que ela aprenderá a ser ela mesma e a se defender e se colocar na sociedade. Neste processo cada um usará aquilo que traz da sua história de vida doméstica. Por isso mesmo, a prática do bulling está presente nas escolar, creio que desde o seu surgimento, como centro do saber e da aprendizagem. Assim, o ciberbulling é apenas a prática do bulling com as ferramentas da atualidades, como o computador, celulares, internet, etc. Mas as consequências, principalmente para a vítima, seja na atualidade ou de modo clássico, é sempre muito ruim e deixa marcas por toda vida. Quando presencio, em sala de aula ou no ambiente escolar, a prática do bulling, sempre chamo atenção do "agressor" e trago o assunto para ser conversado publicamente, inclusive quando o alvo sou eu ou outro colega de trabalho.

Bullying e Cyberbullying

Sidnei Castore 24/11/2015
Sabemos que a prática do Bullying não é um fenômeno recente, pelo contrário, sempre existiu. Contudo, o termo era de desconhecimento de grande parte das pessoas. Porém, com a influência da mídia, bem como, dos meios eletrônicos o fenômeno popularizou-se.

O cyberbullying, por sua vez, é de origem mais recente e, da mesma forma que o bulliyng, deve passar pelos mesmos cuidados preventivos que este, ou até mais, já que os seus efeitos destrutivos possuem uma dimensão muito maior que o bulliyng.

No entanto, é importante saber diferenciar o que é bulliyng e cyberbullying do que não é. Resumidamente, ambos possuem como características: a intenção do autor em ferir o alvo; a repetição da agressão; a presença de um público espectador e; a concordância do alvo com relação à ofensa.

Felizmente, nunca presenciei esses fenômenos com meus alunos, talvez por sempre ter dado aula no modular para alunos com uma maior faixa etária. Contudo, procuro sempre em minhas aulas (principalmente nas aulas de Introdução ao Estudo de Direito, Direito Civil, Constitucional e Penal) explicar e expor que a prática desses atos, além de causar danos físicos e psíquicos na vitima, também implicam punições (tanto administrativa, civil e penalmente ao agressor). E procuro deixar claro, que a internet atualmente, não pode ser mais considerada como terra de ninguém, haja vista, os inúmeros casos de ações (tanto no âmbito civil como no penal) que ocorreram nos últimos anos e com as devidas punições. Mesmo o bullying não sendo considerado crime, as lesões contra a integridade física da vitima e as ofensas contra a sua honra são tipificadas. E mesmo sendo menor, o agressor responderá perante o Estatuto da Criança e do Adolescente e isso ainda pode implicar a um pedido de indenização a favor da vítima (que ficara ao encargo dos pais ou responsáveis do menor). Por esses motivos a prevenção sempre será a melhor saída.

E finalizando, é importante salientar que o tratamento em casos de bullying e cyberbullying não deve se restringir apenas à vítima, pelo contrário, deve ser ampliada ao agressor. Muitos deles possuem baixa autoestima, e para combatê-la buscam constantemente a popularidade entre os amigos, justamente praticando agressão física e moral contra outros alunos, ou seja, veem no bullying e no cyberbullying um meio eficaz de se sentirem poderosos e obterem uma boa imagem de si mesmos.

Bullying e Cyberbullying nas escolas

Ivete Moraes 24/11/2015
Os seres humanos por natureza são dependentes e carentes de seus pares, suscetíveis a cobranças absurdas de serem medianos, ou seja, devem obedecer a um padrão estabelecido pela sociedade, e os que fogem destes padrões “normais”, sejam eles, acima ou abaixo do esperado, são rotulados na maioria de estranhos, ao da mesma espécie, e assim exposto de forma vexatória. Essa situação encontra um ambiente propício em sala de aula e nós, como educadores, devemos orientar nossos alunos a aprender a praticar a empatia, ou seja, colocarem-se no lugar do outro. Isso promoverá o entendimento dos diferentes.

Bullying e Cyberbullying nas escolas

NUBAS CUSTODIO 24/11/2015
O Bulling e Cyberbulling é entendido como uma prática de desvalorização da pessoa intencional ou não. O importante é saber identificar essa prática e agir no ato que o fato ocorre. É importante que o professor não deixe essa prática intencional ou não acontecer sem intervir chamando a atenção do responsável pela prática, pois já presenciei situações de desconforto total acontecer, ainda que nessa unidade não me lembro de que algo similar tenha acontecido comigo em sala de aula.
Convêm salientar que os professores devem estar sempre alerta contra essa prática que devemos repudiar sempre, para que o ambiente de trabalho ou convivência seja sempre o melhor possível.

Bullying e Cyberbullying

Getulio Pereira da Silva 23/11/2015
O Bullyng é um ato de quem tem alguma deficiência e tenta denegrir ,diminuir, menosprezar alguém para sentir-se poderoso e o centro das atenções ,podendo este ser o causador até mesmo de suicídio por parte da vítima. Deve-se coibir estas ações de modo que estas pessoas não tenham acesso a esta prática horrível.
A conscientização em sala de aula através de exemplos até mesmos os extremos que chocam e chamam a atenção , e os mais brandos auxiliam na redução e diminuição destes atos , que por sua vez deveriam ser banidos.
O Cyberbullyng é um ato covarde que quando a pessoa vítima se dá conta uma multidão já está visualizando situações constrangedoras que denigrem a imagem da pessoa, causando vergonha .
A conscientização através de exemplos , acontecimentos entre outros em sala de aula, auxilia na minimização do problema. Porém este é um problema difícil de ser extinto porque vai muito além das nossas possibilidades de ações de conscientização, é um problema de educação e índole do indivíduo.

Bullying e Cyberbullying

Klewer da Silva Cunha 23/11/2015
Acredito que em nossa escola acontece sim o bullying e o cyberbullying, em especial entre os alunos do ETIM, diante da imaturidade e por vezes da faixa etária em que eles se encontram.
Nos últimos dias, em especial, nas minhas aulas de Ética e Cidadania Organizacional tenho trabalhado bastante a temática, em especial porque no último dia 09 de novembro foi sancionado pela Presidente da República a Lei nº 13.185/2015 que "Institui o Programa de Combate à Intimidação
Sistemática (Bullying)".
Como atividade, pedi para os alunos pesquisarem a novíssima lei e identificarem nela os pontos positivos e negativos no combate a este tipo de prática.

Re:Bullying e Cyberbullying

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 23/11/2015
Sensacional ! Obrigada pela informação. Não sabia da nova lei.
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

Bullying e Cyberbullying

Antonio Carlos Prizmic 23/11/2015
Um dos maiores problemas da Escola no atual momento refere-se ao Bullyng, pois hoje, alunos sofrem com outros que ainda não compreenderam como deve tratar o outro com igualdade, talvez a aceitação seja um dos maiores desafios da atualidade. Como educador, tento esclarecer aos meus alunos sobre esse grave problema, grupos de seminários escolheram os temas como Bullying e Cyberbullying, e com isso tentamos refletir e melhorar esse comportamento dentro do nosso ambiente escolar.
O Cyberbullying fica mais difícil o nosso controle , pois os alunos passam horas conectados e por lá as ofensas e agressões podem ocorrer e as vezes sem identificação, tento esclarecer desse perigo atual, mas me sinto um pouco inerte, pois hoje a Internet é "terra de ninguém".

Re:Bullying e Cyberbullying

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 23/11/2015
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

Como você compreende a prática de bullying e do cyberbullying? Quais estratégias você tem encontrado, em sala de aula, para lidar com a questão?

Mauro 23/11/2015
A prática de bullying se remete ao lado mais animal do ser humano e é uma forma de se autoafirmar como parte integrante de um grupo e para isso atacando, geralmente em bando, alguém que está mais vulnerável. Com o advento da internet e os processos de evolução dos meios de comunicação essa prática ganhou mais força. A escola é um dos grupos de referência para a formação do indivíduo, a formação acadêmica, cidadã e de caráter, portanto, ela tem responsabilidade em promover estratégias educativas para que esse tipo de prática seja evitada. Tanto os professores quanto os inspetores de professores bem como toda a equipe gestora deve atuar de forma a identificar e coibir tal prática.

Re:Como você compreende a prática de bullying e do cyberbullying? Quais estratégias você tem encontrado, em sala de aula, para lidar com a questão?

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 23/11/2015
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

bullying e cyberbullying

FABIANA IGNÁCIO 23/11/2015
Tanto o bullying quanto o cyberbullying são situações complexas que exigem muita atenção. Parto do princípio que o respeito ao próximo é a base de tudo e, esse respeito, deve vir primeiramente de casa, pois a família tem um papel fundamental na formação do indivíduo. Em segundo plano, da sociedade também tem um papel fundamental, pois ela tem o poder de influenciar positivamente e/ou negativamente um indivíduo. Então, devemos conversar com os alunos sobre essa prática e sobre os danos que ela pode causar à pessoa agredida, de forma que eles entendam que a prática do bullying e do cyberbullying é um desrespeito à liberdade do outro e isso não é bom pra nenhum dos lados.

Re:bullying e cyberbullying

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 23/11/2015
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

Re:bullying e cyberbullying

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 23/11/2015
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

bullying e cyberbullying

Edilson Alves de Almeida 23/11/2015
O bullying é um ato covarde por parte de pessoa (s) com o intuito de denegrir a uma outra pessoa. Em minhas aulas, sempre enfatizo que os alunos não tenham constrangimento de perguntar dúvidas sejam elas as mais simples, as quais podem por esse motivo ser motivo de bullying. Sempre alerto aos alunos que aqui na escola é onde eles devem errar sem medo com o objetivo de consolidar o conhecimento, pois se por medo de bullying, as dúvidas forem levadas junto ao mercado de trabalho, aí sim o bullying pode tomar proporções preocupantes. Em minha experiência em sala de aula, apenas um caso de bullying observei no curso de automação industrial, onde um aluno sofria contrangimento perante seus colegas. Conversei com esse aluno, juntamente com sua mãe, e aparentemente, parece que houve sucesso, pois percebo que o mesmo esta bem interado com seus colegas de classe, assim tenho observado não haver mais sinais de bullying.




Abraços Edilson Almeida

Bulling e Cyberbulling

Cristiane Mendes de Mattos 23/11/2015
É o bullying que ocorre em meios eletrônicos, com mensagens difamatórias ou ameaçadoras circulando por e-mails, sites, blogs (os diários virtuais), redes sociais e celulares. É quase uma extensão do que os alunos dizem e fazem na escola, mas com o agravante de que as pessoas envolvidas não estão cara a cara.
Esse tormento que é a agressão pela internet faz com que a criança e o adolescente humilhados não se sintam mais seguros em lugar algum, em momento algum. Para eles, é tudo real, como se fosse do jeito tradicional, tanto para fazer amigos como para comprar, aprender ou combinar um passeio.
As melhores ferramentas para prevenir o insucesso escolar e os melhores indicadores das boas práticas de ensino são o respeito e a valorização da diversidade.

Re:Bulling e Cyberbulling

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 23/11/2015
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

bullying

Otávio Jesus Torre 22/11/2015
Na sala de aula normalmente ocorrem casos de brincadeiras entre os alunos porém sempre dentro dos limites de respeito aos colegas.
O bullying é um ato de constrangimento para alguns alunos que muitas vezes ocultam a situação, a escola e os professores devem sempre estar atentos ao comportamento de alunos, principalmente aqueles que se isolam dos demais que demonstram ansiedade e, em alguns casos se mostram nervosos sem motivo aparente.
O bullying muitas vezes se passa desapercebido pois o aluno não procura ajuda de ninguém, o que pode provoca, sem duvida nenhuma, traumas em sua vida futura. Devemos sempre trabalhar projetos e palestras que conscientizem os alunos sobre este problema muito sério na escola.

Bullying e Cyberbullying

Carlos Alberto de Arantes Machado 21/11/2015
Em sala de aula até a presente data não observei bullying e ou cyberbullying.
Entretanto qualquer tipo de atitude que possa gerar algum motivo para piadas ou gozação de alguém, normalmente eu reprimo a atitude informando que isto não é conveniente e que isto demonstra falta de convivência em sociedade.

Bullying e do cyberbullying

ELZA CANDIDO DE FARIAS 21/11/2015
Nesse ano letivo tive a oportunidade de ministrar a disciplina de ética, bem como a oportunidade de cursar uma formação em Bullying no Centro Paula Souza. Esse conjunto me auxiliou a levar o tema para a sala de aula, na qual os alunos fizeram levantamentos, discussões, apresentaram vídeos. E como ação de fechamento, desenvolvemos ações coletivas para a reflexão sobre o tema. Saíram peças de teatro, intervenções e um vídeo onde os alunos refletem sobre a prática, os impactos e cuidados.
O tema precisa ser avaliado com cuidado e levado a pais e professores para auxiliar na discussão e prevenção ao tema.

Re:Bullying e do cyberbullying

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 23/11/2015
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

ANP Bullying e Cyberbullying

Daniel Capella Pereira - Professor 20/11/2015
Como professor e coordenador me lembro de inúmeros casos em que a articulação com os colegas professores foi fundamental para a construção de um ambiente acolhedor de respeito e coleguismo. Nessas ocasiões foi indispensável o diálogo e a proximidade com o aluno. Atividades em grupo como o TCC e orientação contribuem fortemente para que os alunos desenvolvam a empatia e o respeito mutuo. Além disso, eventos como o Motivarte, desenvolvido pela Profª Luana Aracre são momentos em que os alunos podem interagir e se expressar. No ano de 2013 orientei o 2ºC na construção de curtas metragens com esse tema como parte do Projeto Na Moral que na época foi coordenado pela Profª Natália Alonso e o resultado foi bem interessante.

Re:ANP Bullying e Cyberbullying

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 23/11/2015
Parabéns professor Daniel pelo seu trabalho e colaboração.
O Projeto Na Moral que realizamos na escola é sensacional, pois conscientiza e sensibiliza nossos alunos sobre diversos temas pertinentes.
É uma oportunidade a mais para trabalhar o assunto com nossos jovens alunos.
Obrigada.
Nelita

Re:ANP Bullying e Cyberbullying

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 23/11/2015
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

ANP

Mari Queiroz - Professora 20/11/2015
O cyberbullying em si, tem características bem parecidas com um crime comum. Existem três tipos de perfis envolvidos: Primeiro a vítima, uma pessoa com características físicas ou de comportamento que teriam motivado a agressão. O segundo o agressor que pode até ser um colega muito próximo da vítima. O terceiro tipo é o expectador testemunha, pessoas que em algum momento presenciaram o ataque, mas não tomam nenhuma posição, ou até participam da agressão. Como extensão do nosso comportamento no mundo real a internet é um meio onde pode haver todo tipo de gente e prestar atenção na maneira como lidamos com o outro e suas diferenças é o primeiro passo para o fim do cyberbullying. O bullying sempre existiu, não é um fenômeno psicossocial novo, mas só foi nomeado há pouco tempo e a partir desta nomeação e conceituação, é que se começou a discutir sobre o assunto. O bullying tende a desaparecer em ambientes onde haja um clima afetivo e de confiança entre as pessoas. Os professores têm uma responsabilidade muito grande na formação deste ambiente. Podem promover através de atividades extraclasses, como jogos esportivos, aulas de dança, gincanas solidárias e outras atividades sociais e de lazer. Nestes momentos, os alunos podem ver os professores em outra posição, que não a de donos do saber; podem falar sobre assuntos não acadêmicos; o que os torna humanos, diante dos alunos. Na discussão com os alunos, também podemos conscientizar os espectadores de que esta atitude também não é bem aceita, já que quando se assistem calados, estamos sendo coniventes com a situação. Fante e Pedra (2008, p.122) colocam que devemos: “converter os espectadores em alunos solidários, a ação dos agressores passa a ser inaceitável. Portanto, se os agressores perdem os aplausos e o incentivo da plateia, consequentemente sua popularidade se reduzirá, bem como a motivação para os ataques.” Com certeza o silêncio é a pior solução. Segundo os autores Beaudoin e Taylor (2006,p.61) o efeito das conversas colaborativas levam:
A mudança por decisão pessoal.
Passam a ver com mais clareza por que desejam mudar.
A vigilância não é necessária; os alunos em geral têm um compromisso com suas próprias escolhas.
Se ocorrerem erros, serão infrequentes e gerarão autoavaliação.
Geralmente cresce a autoconfiança à medida que os alunos têm mais êxito e consciência dos efeitos preferidos dos novos comportamentos.
É comum a congruência dos valores do indivíduo com a identidade preferida dominar a mente dos alunos.
Os alunos logo sentem respeito e respeitam cada vez mais os educadores por tratá-los como pessoas dignas de consideração.
Os alunos passam a exprimir com bastante clareza os efeitos negativos que lhes são importantes e as ideias exclusivas que lhes possibilitam agir de um modo diferente.
Por fim, os problemas de desrespeito e de bullying na escola passam também por uma prevenção. Como podemos prevenir? Trabalhando uma cultura de paz, de afetividade, de respeito à diversidade. Quando trabalhamos a diversidade, em outra perspectiva, os alunos entendem que a diversidade contribui para o crescimento do ser humano. Um elogio sincero a uma atitude assertiva do aluno pode elevar sua autoestima e promover o bem-estar capaz de contagiar os demais. Atitudes positivas precisam ser exaltadas. Sentimentos positivos precisam ser transmitidos. A sociedade comprometida com uma cultura de paz, de afetividade e respeito à diversidade pode modificar os cenários apresentados e vividos na atualidade.

Re:ANP

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 23/11/2015
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

Reunião Pedagógica - Bullying e Cyberbullying

Eloisa Lages 20/11/2015
A prática de bullying sempre existiu, mas com o advento da internet e os processos de evolução dos meios de comunicação essa prática ganhou mais força. É importante saber diferenciar as brincadeiras 'saudáveis' dessa prática, a linha é muito tênue. A escola é um dos grupos de referência para a formação dos jovens, a formação acadêmica, cidadã e de caráter, portanto ela tem responsabilidade em promover estratégias educativas para que esse tipo de prática seja evitada. Devemos disseminar o respeito, a tolerância e a solidariedade.
Procuro sempre conversar com meus alunos sobre esses assuntos, como a prática de bullying, drogas etc. Uma conversa pode mudar o rumo da vida de um jovem, para sempre.

Re:Reunião Pedagógica - Bullying e Cyberbullying

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 23/11/2015
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

Bullying e Cyberbullying

José Marcos Ibiapino 19/11/2015
É preciso saber distinguir o bullying de uma brincadeira que é aceita pelo envolvido e não provoca polêmicas ou incômodos. Considero o cyberbullying mais grave porque pode atingir proporções gigantescas de danos à moral. Tive a curiosidade de pesquisar alguns casos deste tipo de bullying e fiquei surpreso pois as consequências dos danos pode levar a vítima até a morte.

Em sala de aula não tenho observado esta prática. Pelo contrário existe até um clima de respeito por parte de alguns alunos que apoiam quando percebem que um colega tem alguma dificuldade.
Para evitar que aconteça, nossa missão é de promover postura de respeito mútuo na sala entre os alunos e também com o professor.

Re:Bullying e Cyberbullying

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 23/11/2015
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

Bullying e Cyberbullying

LUIZ AUGUSTO 19/11/2015
Como educadores e formadores de opinião para os alunos acredito que nossa participação neste assunto é muito importante. Em primeiro lugar podendo conscientizá-los do tema sempre que houver qualquer tipo de ação neste sentido, mostrando que sempre deve haver o respeito pelo outro e pela diversidade de cada um. É nosso dever também alertar e fazê-los pensar que o que parece uma simples "brincadeira" pode ter consequências muito graves e traumáticas no outro. O melhor exemplo que sempre que cada um pense em se colocar no lugar do outro antes de falar ou fazer algo.
Para os casos extremos, onde já foi conversado mas sem solução, devemos tomar uma ação rápida encaminhando os "ofensores" para à cordenação e direção nunca deixando que isso seja levado como uma prática normal de ação e pensamento.

Bulling e Cyberbulling

Aloisio Martins Bitecourt 19/11/2015
Entendo o bulling como uma prática na tentativa de diminuir a moral de uma pessoa com xingamentos, apelidos pejorativos, discriminação, etc. No Martin Luther King, em minhas aulas, não tenho presenciado tais práticas. Mas assim que presenciar devemos alertar o agressor que é uma prática não legal passível de punição. Além de retrucarmos tal prática devemos encaminhar o agressor para a Orientação Educacional. O material apresentado está de parabéns.

Re:Bulling e Cyberbulling

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 23/11/2015
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

Bullying e Cyberbullying nas escolas

Celso Gregório de Santana 18/11/2015
Bullying caracteriza uma agressão verbal e física a uma outra pessoa, que por sua vez, possa estar com sua autoestima baixa e se encontra sem condições de se defender, geralmente ocorre em uma relação assimétrica. Para ser considerado Bullying a ocorrência deve ser repetitiva.
Ao surgir uma situação em sala, a intervenção deve ser imediata. "Se algo ocorre e o professor se omite ou até mesmo dá uma risadinha por causa de uma piada ou de um comentário, vai pelo caminho errado. A postura do educador deve ser de sensibilizar a sala para que tal prática não ocorra, preservando, dessa forma, todos sem distinção.

Cyberbullying Agressão verbal, difamação, manipulação, insulto, humilhação, perseguição em contexto cibernético como Chats, Redes Sociais, etc. Bullying em contexto tecnológico. Os agressores designam-se Bullies.

Quando ocorre?

Quando alguém que se julga mais forte, mais poderoso e mais capaz, persegue e humilha outros que julga mais fracos. O poder serve para intimidar o mais fraco que, devido às desigualdades, tem menos capacidade de autoprotecção, como auto-estima.


Onde pode ocorrer?
Internet, telemóvel, redes sociais, chats, blogs etc.

Como ocorre?
Os agressores (Bullies) aproveitam todos os dados da vítima para a intimidar. Insulto e manipulação de imagem através das fotografias do Facebook; Mensagens com difamações; Utilização de e-mail para envio de conteúdo agressivo; Agressão verbal através do MSN Messenger; entre outros.

Porque ocorre?
O objetivo dos agressores é causar mal-estar à vítima. Geralmente os bullies são crianças/jovens/adultos, com problemas de relacionamento e utilizam o insulto de forma a sentirem-se respeitados. Por ser praticado nos meios tecnológicos, o Cyberbullying permite que os agressores passem, muitas vezes, por anónimos.

Sinais de alerta para possíveis vítimas:
Professores, pais e amigos devem estar atentos a alguns sinais de Cyberbullying:
· Isolamento;
. Menor rendimento escolar ou aumento do tempo de estudo;
· Não querer estar com amigos e colegas;
· Não querer sair de casa;
· Não atender o telefone;

O que fazer denunciar/evitar o Cyberbullying?
· Reportar a Agressão;
. Colocar o Computador num local social/comum;
. Não partilhar dados pessoais;
. Guardar as mensagens de Cyberbullying

Re:Bullying e Cyberbullying nas escolas

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 23/11/2015
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

Bullying e CyberBullying

Valdir Ferri Ross 18/11/2015
Entendo que fazer bullying é a evolução da natureza irracional do ser humano na tentativa de demarcar território ou dominar um ambiente ou grupo social. Assim como no mundo animal onde a liderança é obtida pela força física, humilhando o oponente perante o grupo, o bullying é uma forma usada para mostrar a fraqueza do outro perante um grupo.
Além das agressões verbais e/ou físicas, atitudes não explicitas individuais ou em grupo que excluem ou limitam os direitos de outros, também é uma forma de bullying.
No ambiente escolar particularmente, podemos distinguir grupos de diferentes dimensões, alunos, professores e funcionários, onde a individualidade dos problemas e anseios de cada um não é conhecida pelos demais, o respeito é a unica forma de evitar o bullying.

Prof. Valdir F. Ross

Re:Bullying e CyberBullying

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 23/11/2015
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

Bullying e Cyberbullying

Rubem 17/11/2015
Concordo com a professora Denise quando ela diz que "A situação de um aluno apontar os defeitos do outro para diminuí-lo e sentir-se, portanto, superior é muito comum entre adolescentes. Não é uma prática nova, desde criança vejo isto, porém, agora, com todas as mídias disponíveis, a questão é disseminada em grande escala e fica difícil controlar."

Acredito que a melhor maneira de combater o Bullying e Cyberbullying seja através da orientação, mostrando aos alunos que tem essa prática as suas possíveis consequências.

Na minha opinião, o cyberbullying é ainda mais difícil controlar no meio dos alunos, pois muitas vezes não temos acesso aos grupos das redes sociais que eles pertencem.

Re:Bullying e Cyberbullying

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 23/11/2015
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

Bullying e Cyberbullying

Ariana Nascimento 16/11/2015
Ultimamente não tenho observado ações de bullying e cyberbullying entre os aluos dentro ou fora de sala e mesmo nas redes sociais. O importante é saber identificar quando determinadas posturas são de fato bullying e cyberbullying e também saber mediar quando isto ocorre dentro de sala de aula, dependendo da perspectiva é muito mais eficiente tentar resolver a situação entre os alunos/professores do que alimentar uma situação que pode ser muito dispendiosa no futuro.

Bullying e Cyberbullying

jaimejosecrivelaro 15/11/2015
Como educador estou sempre prestando atenção se há essa pratica em sala de aula e assim quando for percebido pretendo tomar atitudes tais como: Chamar atenção dos alunos que estão praticando o ato, comunicar a direção e coordenação para tomarem as atitudes cabíveis e envolver todos os alunos com projetos para conscientização.
É preciso mostrar respeito e dar o exemplo distinguindo o que é uma piada aceitável e uma agressão, colocando-se no lugar da vítima para avaliar, e se for o caso levar para a direção da escola.
Acho importante que o próprio professor dê o exemplo de respeito para com os alunos, pois ele é o modelo que irão copiar, e que deixe muito claro que não vai admitir esse tipo de comportamento

Atenciosamente
Jaime José Crivelaro
16/11/2015


BULLYING

Marcos Vaskevicius 15/11/2015
Primeiramente agradeço a coordenação pedagógica pelo excelente material de apoio referente a tal assunto.
Simplesmente procuro conscientizar sobre a importância da prática da ordem social (cumprimento de leis e regras) para o progresso social (uma melhor capacidade de conviver). Procuro dar um exemplo de jamais chamar um aluno por um termo ou apelido, busco sempre manter uma relação formal e respeitosa com eles.
Sempre que surge uma tentativa de brincadeira pejorativa no grupo de alunos nas minhas aulas enfatizo que aquele compotamento esta equivocado e que poder gerar punições (evitando assim o início de um possível bullying).

Re:BULLYING

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 23/11/2015
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

Bullyng e Cyberbullyng

Marco Antonio Romano 14/11/2015
Compreendo que discussões ou brigas pontuais não são bullying. Conflitos entre professor e aluno ou aluno e gestor também não são considerados bullying. Para que seja bullying, é necessário que a agressão seja praticada de maneira repetitiva e ocorra entre pares (colegas de classe ou de trabalho, por exemplo). Esse fenômeno é tanto um problema social quanto mundial, ocorrendo em toda e qualquer escola ( pública ou privada) e até mesmo fora da escola (locais de trabalho).

Quanto ao Cyberbullying, veiculado principalmente na internet e celulares, causa sofrimento incalculável à vítima, em virtude da velocidade com que a agressão se multiplica, e por ser, muitas vezes, de origem anônima ou falsa.

Até o momento não me deparei com tais problemas, mas fico sempre atento. Caso isso ocorra, penso em intervir rapidamente conversando - em particular e separadamente - para ouvir as partes envolvidas no caso. Assim, fica mais fácil de identificar o motivo pelo qual a agressão está sendo cometida e, se confirmado o bullyng/cyberbullyng , é possível indicar um especialista fora do ambiente escolar para trabalhar melhor com o assunto em questão, auxiliando tanto os agressores, quanto a vítima.

É essencial que a prevenção e luta contra o bullyng/cyberbullyng comece dentro de casa, pois a família serve de suporte e referência básica para a socialização sadia de crianças e adolescentes.....e futuros adultos.

Bullying e Cyberbullying

Marcello Secco 12/11/2015
Tanto o bullying quanto o cyberbullying são práticas inaceitáveis em sala de aula, e que devem ser coibidas e combatidas. O Bullying, às vezes, acaba sendo mais simples de ser resolvido, pois o agressor possui nome e sobrenome. Uma vez que se toma conhecimento do caso, a vítima consegue facilmente identificar e apontar a pessoa que a está incomodando e muitas vezes só com uma conversa é possível acabar com o problema. Já o cyberbullying é bem mais complicado de resolver, pois na maioria dos casos ele acontece no anonimato, e sem identificar o agressor fica complicado de resolver o caso, pois ele pode continuar agindo impunimente.
Em sala de aula, assim que o professor presenciar alguma “brincadeira” ou comentário de mau gosto de caráter ofensivo e/ou preconceituoso, ele deve cortar essa prática na hora, informando à coordenação, à direção e até mesmo aos responsáveis pelo aluno.

Att. Marcello Secco

ANP - Bullying e Cyberbullying

Luana Aracre 12/11/2015
Falar sobre Bullying já é bem complexo, porque trata-se de uma situação negativa, caracterizada por agressões verbais ou físicas direcionado a um colega na escola. Acredito que o Cyberbullying é um meio ainda mais agressivo, porque a utilização da tecnologia para a prática do Bullying, impulsiona e dissemina ainda mais rapidamente tal prática.

A utilização dos meios eletrônicos devem ser instruídos e acompanhados para a obtenção de resultados positivos. Portanto, o papel do Professor é fundamental neste momento para o desenvolvimento de competências técnicas e comportamentais, criando o modelo do profissional a que se pretende formar.

É claro que indivíduos não interessados em colaborar com a construção do conhecimento devem ser advertidos e punidos conforme a gravidade da ocorrência, entretanto o papel do educador, deve ser sempre a orientação para mudança de comportamento.

Acredito muito no diálogo para a formação do profissional, porque para a competência ser atingida, não basta a transmissão de conhecimentos técnicos, mas também a oportunidade de fazer este aluno adquirir a habilidade pela prática dos conceitos e também a cobrança de atitudes empreendedoras.

Atenciosamente,

Luana Aracre

Bullying e Cyberbullying

Denise Landi Corrales Guaranha 12/11/2015
A situação de um aluno apontar os defeitos do outro para diminuí-lo e sentir-se, portanto, superior é muito comum entre adolescentes. Não é uma prática nova, desde criança vejo isto, porém, agora, com todas as mídias disponíveis, a questão é disseminada em grande escala e fica difícil controlar. Em sala de aula, convivo diariamente com isso, em maior ou menor grau, às vezes em fatos surpreendentes. Quando presencio algo desse tipo, normalmente chamo a atenção de quem o fez, às vezes cito a lei; outras digo que não vou tolerar discriminação ou ofensas ao colega; ou procuro destacar o que o "ofendido" tem de especial e positivo ou até comentar algo sobre o ofensor tentando neutralizá-lo. É difícil, no entanto, pois as palavras podem ser sutis e a ofensa não ser perceptível, tratando-se de algo da intimidade dos jovens e que o professor desconhece. Acho importante que o próprio professor dê o exemplo de respeito para com os alunos, pois ele é o modelo que irão copiar, e que deixe muito claro que não vai admitir esse tipo de comportamento. Nada disso vai acabar com o bullying, mas nossa posição fica demarcada.

Cyberbullying

FABIANA CARDENUTO 12/11/2015
Vejo o cyberbullying como uma atividade que muitas vezes acontece fora da sala de aula e do horário de estudos, mas que tem consequências diretas na vida social e estudantil do aluno. É uma tática tendenciosa e nociva, que fomenta preconceitos das mais variadas nuances. Racismo, homofobia, ódios religiosos, enfim, tudo que faça o indivíduo ser diferente do outro é motivo e combustível para as agressões. O agravante é a tecnologia, que propaga ofensas num ritmo vertiginoso e causa, na maioria das vezes, efeitos irreversíveis em suas vítimas. Como educadora, creio no diálogo, que deve acontecer em todas as esferas. O professor tem que promover momentos de conversa e discussão para aparar arestas e edificar compreensão e tolerância entre seus educandos. Momentos que são preciosos e importantes, tanto quanto a exposição de conteúdos. É um trabalho contínuo e deve ser conjunto à direção, coordenação e orientação pedagógicas, bem como envolver a comunidade (pais, familiares etc.). A escola deve ser um ambiente de boa convivência. E somos ferramentas para que isso aconteça.
Fabiana Cardenuto Saes

ANP - Bullying e Cyberbullying

Adilson Lima Pereira 12/11/2015

Como você compreende a prática de bullying e do cyberbullying?

Vejo como sendo agressões intencionais, verbais ou físicas, feitas repetitivamente, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas de classe, podendo acarretar isolamento ou queda do rendimento escolar.


Quais estratégias você tem encontrado, em sala de aula, para lidar com a questão?

É preciso mostrar respeito e dar o exemplo distinguindo o que é uma piada aceitável e uma agressão, colocando-se no lugar da vítima para avaliar, e se for o caso levar para a direção da escola.


Atenciosamente.
Prof. Adilson Lima Pereira

ANP - Bullying e Cyberbullying

Rodrigo D'Angelo Mathias 10/11/2015
Compreendo como sendo a prática de bullying as agressões intencionais a fim de ferir o alvo, sendo elas físicas ou verbais (moral), por um aluno ou um grupo de alunos contra um ou mais alunos da mesma sala de aula, ou até mesmo de outra sala da escola. Compreendo como sendo a prática de cyberbullying o bullying que acontece no meio virtual, e/ou em meios eletrônicos, como mensagens via WhatsApp, SMS (torpedo), Facebook etc, mensagens essas ameaçadoras ou que ridicularizam o alvo, assim como o ato físico ou verbal executado pessoalmente.
Já presenciei esse tipo de comportamento em sala de aula, e o que nós, professores devemos fazer é intervir imediatamente no ato do bullying, repreendendo o aluno ou grupo de alunos, solicitando que eles se desculpem com o aluno alvo etc, e exigindo que tal atitude não ocorra novamente, tanto dentro da sala de aula, como fora dela. Acho o cyberbullying ainda pior que o bullying dentro da sala de aula, uma vez que virtualmente as mensagens / fotos ficam gravadas, e são divulgadas numa velocidade e proporção muito maior, o que não ocorre pessoalmente. E para isso é necessário uma intervenção da diretoria / coordenação em sempre tentar acompanhar os meios eletrônicos, grupos no Facebook, grupos no WhatsApp etc, quer seja por meio de outros alunos (representantes de sala, por exemplo, que podem informar caso tenha acontecido o ato de bullying nesse meio, inclusive salvando a conversa, mensagens, fotos entre outros), quer seja solicitando a inclusão de tais monitores nesses grupos, para estarem constantemente atentos a tais atitudes.

Obrigado a todos. Atenciosamente,

Rodrigo D’Angelo - 10-11-15

Bullying e Cyberbullying

Itamar Ernandes 10/11/2015
Nós educadores precisamos prestar bem atenção se há essa pratica em sala de aula e assim que percebido tomar atitudes tais: Chamar atenção dos alunos que estão praticando o ato, comunicar a direção e coordenação para tomarem as atitudes cabíveis e envolver todos os alunos com projetos para conscientização.

cyberbullying

luciana de paula oliveira 10/11/2015
Para compreender e evitar estas práticas, um educador precisa entender os motivos que levam às agressões e ao mesmo tempo em que se dá atenção à vítima o educador deve dialogar com a criança autora da agressão, tentando desconstruir suas razões.

Em minhas aulas não observo o cyberbullyng, mais colocar o assunto em discussão, ou promovê-lo através de palestras, seminário e eventos na escola é de suma importante.
Alguns conselhos interessantes dos especialistas Cléo Fante e José Augusto Pedra, autores do livro Bullying:
• Incentivar a solidariedade, a generosidade e o respeito às diferenças por meio de conversas, campanhas de incentivo à paz e à tolerância, trabalhos didáticos, como atividades de cooperação e interpretação de diferentes papéis em um conflito;
• Desenvolver em sala de aula um ambiente favorável à comunicação entre alunos;
• Quando um estudante reclamar de algo ou denunciar o bullying, procurar imediatamente a direção da escola.

Re:cyberbullying

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 24/11/2015
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

Re:Re:cyberbullying

RODRIGO DOMINGUES - NOVO SOCIOLOGIA 03/12/2015
o

cyberbullying

CARLOS ALMEIDA DA SILVA 10/11/2015
Não observo cyberbullying nas minhas sala de aula, pois são alunos que trabalham e tem o objetivo de aprender. O melhor método e conversar a respeito com os alunos quando observar o caso.

Re:cyberbullying

Nelita Helena - Coordenadora Pedagógica 24/11/2015
A luta contra o bullying e cyberbullying é um grande desafio para todos nós. A discussão sobre o tema, com toda a comunidade escolar, contribui para sua prevenção e faz parte do projeto pedagógico da escola.
Obrigada por sua participação e colaboração.
Abraços.
Nelita

Re:Re:cyberbullying

RODRIGO DOMINGUES - NOVO SOCIOLOGIA 03/12/2015
Bullying sendo uma ato violento (físico ou não) que ocorrem em forma intencional e repetitiva deve ter um olhar atento do professor em sala de aula e ambientes da escola.
Não encontro tanto essa dificuldade, são casos pontuais, quando observado procuro criar grupos de discussões e debates para entendermos e procurar esclarecer nos alunos. Recentemente fiz um projeto sobre gentileza para trabalhar a ideia da empatia foi super bem aceita e percebi melhoras em alguns grupos.
Rodrigo Domingues

Novo comentário